sábado, 8 de novembro de 2014

O seu fusca do seu jeito (parte 2): Velha escola Brasil

A personalização dos carros não é de hoje. Desde os anos 60 que os carros são customizados conforme o gosto do dono e os acessórios disponíveis no mercado. A personalização vai muito mais além de deixar o veículo com melhor aparência, na verdade, a personalização mostra muito do que o dono é, torna o carro sua extensão.

Como este blog é sobre veículos movidos pelo motor VW a ar, vamos falar um pouco sobre os vários estilos que se enquadram os VW no Brasil e no mundo.

Começamos a falar sobre o tipo de personalização que ocorreu no Brasil entre as décadas de 60, 70 e 80 principalmente e que está ressurgindo a partir dos novos donos, ou mesmo por aqueles que viveram sua juventude nesta época e equiparam seus veículos com este estilo denominado hoje como Velha Escola Brasil, ou simplesmente VEB.


No Brasil, em cada época, havia uma variedade de acessórios disponíveis para cada dono. Acessórios como rodas, bancos, voltantes, manoplas, pedaleiras, escapamentos, rádios, além de incrementos para o motor como carburadores modificados ou adaptados de outros carros, aumento de cilindrada, kits para aumento de potência e finalizando com uma suspensão rebaixada. Estes são os componentes que validam o estilo VEB e que estão em voga novamente. Infelizmente não há nova fabricação destes acessórios (com exceção de alguns modelos de rodas de liga), a absoluta maioria são restaurados e reinstalados.

Propaganda de época
Inicialmente, as personalizações no Brasil começaram a partir das corridas, ainda nos anos 60, onde, os donos buscavam deixar seus carros parecidos com os das corridas.


Modelo de competição da antiga divisão 3

Mas não somente na aparência, como falei antes, a partir das preparações de motores caseiras, surgiram, em vários locais, as chamadas escuderias. Estas eram grupos de amigos que deixavam seus carros envenenados para competir com outros grupos, outras escuderias, em rachas amadores nas ruas.

Duas escuderias que disputavam rachas
Nem todo mundo tinha conhecimento ou ousadia para envenenar o seu carro, ou quando faziam algum melhoramento não colocavam nas ruas para pegas. A maioria das personalizações eram para melhorar o aspecto visual, ser diferenciado entre os demais "normais" das ruas.

Modelo de motor com preparação forte para competição
Com o fechamento dos produtos internacionais no país, a indústria nacional mostrava os seus produtos aos seus clientes com uma boa variedade de acessórios. Nos anos 70 houve uma grande explosão na caracterização dos veículos e acompanhou a explosão nas vendas os fuscas. Nesta época, 70% da frota de veículos no Brasil era composta de fuscas. O auge mesmo aconteceu no começo dos anos 80, com mais variedade de carros e de acessórios.







Hoje, muitos donos de fuscas e derivados, além de outros modelos de outras marcas, personalizam os seus veículos com acessórios sobreviventes da época e mostram que, em meio à possibilidade de adquirir acessórios internacionais, há a valorização do estilo nacional de customização. Muitas peças são encontradas em ferros velhos, ou em carros abandonados há anos, onde não há uma deterioração destas partes e, consequentemente, facilidade na restauração mantendo principalmente a segurança.







Cada ano que passa, mais adeptos ao estilo nacional de customização colocam seus carros nas ruas e nos encontros com qualidade, não devendo nada aos gringos.

4 comentários:

Fabio Nani disse...

Isso é o bonito na Cultura VW... Seja original, preparado, hot, resto, cal, german, rat... Enfim, ANDAM JUNTOS!

Normalmente em outros clubes/grupos de carros, tais categorias tendem a separar a galera.

Isso é feLomenal! :D

igor disse...

Grande Fabio!! Isso mesmo, são muitos estilos a seguir inclusive nenhum deles ou o próprio! Essa é a alma da cultura VW!

Abração!

Anônimo disse...

As fotos antigas são ótimas. Gostaria de usa-las em um artigo para o portal AutoClassic.

Igor da silva costa disse...

Só posso usar peças da epoca do meu carro? Então o que usar em um Fusca 1974?